sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Aromaterapia, origem e uso.


Foi somente no inicio século XX que o químico suíço Gattefosse, fabricante de perfumes, redescobriu o poder curativo dos óleos essenciais.
Depois de uma explosão em seu laboratório aonde teve que passar o óleo essencial de lavanda sobre as queimaduras que se curaram rapidamente. O resultado do imprevisto fez o intrépido cientista deixar os perfumes de lado e voltar sua atenção ao estudo do poder curativo dos óleos essenciais.
Hoje, as essências aromáticas conquistaram lugar de destaque nas drogarias mundiais. Os Óleos essenciais das plantas aromáticas são encontrados em pequenas bolsinhas nas plantas e servem para controlar funções como a temperatura e o sistema de defesa contra as agressões do meio ambiente e dos inimigos naturais.
Em cada uma dessas gotinhas perfumadas há dez acém componentes químicos, além de outros compostos em quantidades tão pequenas que são até difíceis de analisar.
É esse conjunto de substâncias que proporciona ações bioquímicas diversas no corpo, dotando cada óleo de um poder especial.
Em comum, no entanto, os óleos aromáticos têm quatro propriedades importantes:

1- são excelentes anti-sépticos e bactericidas.
Um dos mais poderosos é o botão de cravo-da-índia, não por acaso empregado na maioria dos consultórios dentários pelo seu poder anti-séptico, analgésico e cicatrizante.

2- são ótimos expectorantes.
Essa propriedade é vital nas cidades com o ar poluído, e também é muito útil para os fumantes ou quem compartilha ambientes com eles. Os óleos mais expectorantes são os da família das mirtáceas, como o eucalipto e o cravo, e os da família das coníferas, como o cipreste e o pinho.

3-são poderosos citofiláticos, isto é, quando passados na pele estimulam a regeneração celular. Exemplo disso são as essências de gerânio, lavanda e sândalo.

4-são eficazes rubefacientes, estimulando a circulação sangüínea. Quando há tensão, o fluxo do sangue fica bloqueado e o acúmulo de toxinas causa dores musculares. Os óleos de cítricos – o melhor é o de grapefruit – movimentam os líquidos corporais, estimulam o sistema linfático e ajudam na prevenção da celulite.

Um alerta importante:

Os óleos essenciais nunca devem ser usados diretamente sobre a pele, pois são 70 vezes mais concentrados do que nas plantas das quais são extraídos.
A exceção é o óleo de lavanda que como fez Gattefosse pode ser aplicado diretamente sobre a pele para aliviar queimaduras e picadas de insetos.