sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Aromaterapia, origem e uso.


Foi somente no inicio século XX que o químico suíço Gattefosse, fabricante de perfumes, redescobriu o poder curativo dos óleos essenciais.
Depois de uma explosão em seu laboratório aonde teve que passar o óleo essencial de lavanda sobre as queimaduras que se curaram rapidamente. O resultado do imprevisto fez o intrépido cientista deixar os perfumes de lado e voltar sua atenção ao estudo do poder curativo dos óleos essenciais.
Hoje, as essências aromáticas conquistaram lugar de destaque nas drogarias mundiais. Os Óleos essenciais das plantas aromáticas são encontrados em pequenas bolsinhas nas plantas e servem para controlar funções como a temperatura e o sistema de defesa contra as agressões do meio ambiente e dos inimigos naturais.
Em cada uma dessas gotinhas perfumadas há dez acém componentes químicos, além de outros compostos em quantidades tão pequenas que são até difíceis de analisar.
É esse conjunto de substâncias que proporciona ações bioquímicas diversas no corpo, dotando cada óleo de um poder especial.
Em comum, no entanto, os óleos aromáticos têm quatro propriedades importantes:

1- são excelentes anti-sépticos e bactericidas.
Um dos mais poderosos é o botão de cravo-da-índia, não por acaso empregado na maioria dos consultórios dentários pelo seu poder anti-séptico, analgésico e cicatrizante.

2- são ótimos expectorantes.
Essa propriedade é vital nas cidades com o ar poluído, e também é muito útil para os fumantes ou quem compartilha ambientes com eles. Os óleos mais expectorantes são os da família das mirtáceas, como o eucalipto e o cravo, e os da família das coníferas, como o cipreste e o pinho.

3-são poderosos citofiláticos, isto é, quando passados na pele estimulam a regeneração celular. Exemplo disso são as essências de gerânio, lavanda e sândalo.

4-são eficazes rubefacientes, estimulando a circulação sangüínea. Quando há tensão, o fluxo do sangue fica bloqueado e o acúmulo de toxinas causa dores musculares. Os óleos de cítricos – o melhor é o de grapefruit – movimentam os líquidos corporais, estimulam o sistema linfático e ajudam na prevenção da celulite.

Um alerta importante:

Os óleos essenciais nunca devem ser usados diretamente sobre a pele, pois são 70 vezes mais concentrados do que nas plantas das quais são extraídos.
A exceção é o óleo de lavanda que como fez Gattefosse pode ser aplicado diretamente sobre a pele para aliviar queimaduras e picadas de insetos.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Como retardar o envelhecimento



Ser jovem não é uma simples questão de faixa etária. Tem a ver com seu estado de espírito, sua disposição,
sua aparência e principalmente com a saúde de seu organismo.
Para que nosso organismo permaneça jovem, além da prática regular de atividades física e a alimentação equilibrada; teremos que retardar o envelhecimento precoce e o aparecimento de doenças    degenerativas, como o câncer e a aterosclerose, provocada pelos Radicais Livre. Mas o que são os Radicais Livres?
São substâncias reativas produzidas normalmente no organismo, seu excesso é que provoca doenças e o envelhecimento precoce. O cigarro, o álcool e a poluição são alguns dos principaisresponsáveis pelo aumento de Radicais Livres.Para combatê-los existem substâncias que agem neutralizando-os, são os Antioxidantes.As vitaminas A, C, e E, mais o Zinco, o Betacaroteno e o Selênio são exemplos de Antioxidantes. Recentemente, a ciência descobriu um poderoso antioxidante extraído do tomate: o Licopeno. Vários estudos realizados com o Licopeno e dietas ricas em tomate e derivados evidenciaram sua ação contra os Radicais Livres. E o mais importante sua relação com o risco reduzido de desenvolvimento de doenças degenerativas, como é o caso do câncer. O Licopeno é um carotenóide extraído do tomate e está sendo considerado o mais potente antioxidante do momento.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

COMO PREPARAR E EXTRAIR O MELHOR DAS PLANTAS MEDICINAIS

Pela dissolução, isto é, reduzir à forma liquida (chás) partes das plantas como folha, flor e caule temos que observar algumas medidas para não se perderem os princípios medicamentosos das plantas.Tem que ser preparadas em recipiente, de barro, de porcelana ou de esmalte.

Deve-se evitar, em todo o caso, os utensílios de metal que são atacados pelos ácidos das plantas e que podem alterar os componentes químicos extraídos dessas plantas.Pode ser preparada em água fria – por maceração – ou em água quente – por infusão ou decocção.

Maceração – Após amolecer ou esmagar as partes da  planta, coloca-se em água fria por  durante uma ou duas horas, e ás vezes mesmo durante toda a noite - em água fria – dependendo da planta.

Infusão – Após ter despejado água fervente sobre os pedaços frescos ou secos da planta, deixa-se infundir a mistura durante algum tempo que varia de alguns minutos a meia hora para as flores, os caules e as folhas, e de uma a duas horas para as outras partes da planta como raiz ou casca.

Decocção – Extraem-se os produtos ativos das plantas cozendo-as em água. O tempo de cozimento varia conforme a planta ou parte da planta utilizada. Será mais longo para a casca e a raiz, do que para as flores ou frutos. Deixa-se esfriar a mistura, o tempo e depois, filtra-se, coa-se. Esse processo só é utilizado nos casos em que a infusão não é suficiente para dissolver na água os princípios ativos dos vegetais.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

MAGNETOTERAPIA


A magnetoterapia tem revolucionado o universo da estética, gerando resultados imediatos e duradouros para quem busca uma pele saudável e mais jovem.
Terapia milenar, ela consiste na arte da cura através dos imãs, capaz de restabelecer e manter o equilíbrio enérgico, aumentando a resistência física e psicológica dos seres vivos. A forma de utilização dos ímãs tanto pose ser com a aplicação externa dos mesmos em pontos específicos do corpo, como na ingestão de água imantada, que estimula os canais de energia, sem danificar organismo.Considerada tanto curativa, quanto preventiva, a magnetoterapia não tem contra-indicação.
Dentre seus benéficos destacam-se: combate ás dores em geral, aumento da capacidade respiratória, correção da pressão sangüínea, eliminação do cansaço, alivio á rigidez dos músculos e imunização do corpo contra determinadas doenças. Usado ainda em tratamentos estéticos para amenizar rugas de expressão, o método utiliza um imã capaz de conduzir íons que ativam a membrana das células cutâneas, abrindo os poros e permitindo que os produtos aplicados nos tratamentos penetrem com mais intensidade na pele, recuperando a sua vitalidade e juventude e restaurando, ainda, seu tônus e textura. Cada sessão de magnetoterapia pode durar até 40 minutos. Estes, divididos em 5 etapas nas quais ocorre a remoção das células mortas, a limpeza profunda, o equilíbrio iônico da pele e a ação antioxidante. O tratamento pode ser feito uma só vez para um resultado instantâneo, porém o mais indicado é que seja feito uma vez por semana a fim de uma ação prolongada e de prevenção. Rápida, eficaz e indolor, a magnetoterapia proporciona ainda alto grau de relaxamento e bem-estar. Na sua qualidade de medicina natural, ela trata o corpo como um todo, atacando e prevenindo o envelhecimento precoce e promovendo o bem-estar físico e psíquico do ser humano sem efeitos secundários.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

A VERTEBROTERAPIA

BREVE HISTÓRICO
Totalmente desconhecida dos médicos antigos, a vertebroterapia ou osteopatia deve seu nascimento e seu desenvolvimento aos trabalhos de um médico americano,Dr. A.T.Still, nascido em 1830 e falecido em 1917. Entretanto, já antes de Still, em 1834, dois médicos ingleses, os irmãos Grifin, puderam constatar que existia uma certa sensibilidade das vértebras cervicais em quase todas as afecções associadas ao crânio. Do mesmo modo, nas ocasiões de manifestações brônquicas, cardíacas ou gastrointestinais, a zona de maior sensibilidade situava-se na altura da região dorsal média. Mais ou menos na mesma época, o médico sueco Ling achava que, nas doenças do coração, a sensibilidade vertebral ao apalpamento aumentava na altura dos 4º e 5º nervos dorsais. Mas é o Dr. Still a quem se devem os maiores progressos no que concerne ao conhecimento da topografia das vértebras quanto á sua repercussão sobre as vísceras. Aplicando, então, esse conhecimento ao tratamento de inúmeros distúrbios que pressentia devessem ser atribuído a um desequilíbrio da estática da raque, obteve tais resultados positivos que, como era natural, provocou hostilidade de seus colegas. Apesar desses ataques, perseverou em suas pesquisas e, juntamente com jovens atraídos pelo seu método, formou a primeira escola americana de osteopatia, 1892. Desde então, essa técnica terapêutica tomou um impulso considerável nos países de língua inglêsa, e é agora praticada por grande número de médicos especializados nessa disciplina. Outro nome que merece destaque neste breve apanhado histórico é do médico londrino Dr. Head, que partilhava dos mesmos métodos, mas sem saber que estava praticando a vertebroterapia.
AS BASES DA VERTEBROTERAPIA
Constatações Anatômicas – sem pretender entrar em detalhes que dizem respeito á descrição das raízes nervosas e de seus anexos que partem da medula espinhal, complexos demais para um leigo, vamos nos limitar a fornecer aqui o mínimo que se deve conhecer para compreender o modo de ação da lesão osteopática e suas repercussões, sobre o organismo. Compreende-se que a mínima tensão que ocorra nos ligamentos que unem as vértebras entre si e que se manifeste após um deslocamento mesmo pequeno desses corpos ósseos, irá se repercutir sobre o segmento da medula espinhal que lhe corresponde, sobre o gânglio simpático, e daí sobre o órgão que ele inerva.
Constatações Fisiológicas - considerada a sua importância anatômica e sua riqueza em centros e em condutos nervosos, a região vertebral e paravertebral influencia todo o funcionamento do sistema simpático, e os distúrbios que o atingem tem repercussões sobre as vísceras; as ligações dos filetes do simpático são complexas e variadas e penetram profundamente nos órgãos; segue-se que toda irritação passageira ou contínua que atinja uma ou outra das ramificações desse sistema, concretiza-se sob a forma de um distúrbio funcional, prelúdio de uma lesão orgânica. A redução da lesão osteopática restabelecerá a conexão normal entre esses diferentes elementos e permitirá a volta dos reflexos normais.
Constatações Patológicas – alguns exemplos patológicos, escolhidos propositalmente por sua simplicidade e por seu grau de ocorrência no individuo, ilustrarão o que acaba de ser explicada a respeito dos deslocamentos das superfícies ósseas vertebrais. Muitas nevralgias torácico-braquias rebeldes que vem freqüentemente acompanhada de falsa angina do peito, tem como causa um desvio das costelas superiores da caixa torácica: do mesmo modo, a subluxação de um osso ilíaco pode determinar uma compressão reflexa do nervo ciático pelos músculos vizinhos; nesse caso, o doente irá se queixar de uma forte ciática. Muitas dores de cabeça, sobretudo as que se seguem a uma queda violenta ou a um acidente de carro, devem-se a um pequeno deslocamento de uma vértebra cervical sobre a outra. Se o apalpar a região, se constatar ao mesmo tempo a existência de uma contratura dos músculos cervicais pode-se confirmar o diagnóstico e reduzir manualmente esse vicio da estática vertebral. Poderíamos, assim, multiplicar os exemplos

AS LOCALIZAÇÕES PATOLÓGICAS E SUAS CONSEQUENCIAS
Lesões Cervicais – qualquer choque lateral que atinja a cabeça tende a produzir uma rotação desta sobre o atlas; do mesmo modo, na ocasião de uma forte queda sentada ou de pé, e se cabeça já se encontrar em rotação, constataremos um deslocamento das primeiras vértebras cervicais. Sem entrarmos em detalhes complexos podemos dizer que as lesões osteopáticas dessa parte da coluna vertebral podem ser a conseqüência de rotações forçadas, de escorregões, ou ainda de movimentos de flexão de distensão forçados; elas serão mais marcantes á medida que o choque que as produziu tiver sido mais brusco e violento. Essas modificações da estatura agravam-se com o deslocamento dos discos intervertebrais, deslocamentos que, aliás, podem ocorrer por conta própria. Esse tipo de lesão manifesta-se através de um torcicolo, de fortes nevralgias recidivas que se irradiam na cabeça, nos ombros e nos braços, ou ainda de distúrbios da meninge e de vertigens.
Lesões Torácicas - ocorrem após um choque ou um traumatismo brutal ocasionadas por um movimento intempestivo de flexão, de distensão, de inclinação ou de rotação do tórax, essas lesões afetam as vértebras dorsais quanto às costelas.
Lesões Lombares – como no caso precedente, as lesões osteopáticas que afetam as vértebras lombares, com ou sem deslocamento dos discos,podem ter como causa um exagero dos movimentos de flexão, de distensão ou de rotação. Segue-se o aparecimento de lumbago, que pode até surgir após um esforço mínimo, se não de uma ciática refratária aos outros tratamentos.
Lesões sacro-ilíacas - a articulação que liga o sacro ao osso ilíaco, embora sustentada por fortes ligamentos, pode ser considerada como suscetível de deslocar sob o efeito de um violento choque traumático que ocorre nesse ponto; a cada deslocamento do sacro, tanto para frente como para trás, corresponderá um deslocamento do ilíaco no sentido oposto. Esse movimento, por ser mínimo, nem sempre pode ser detectado pelos exames radiográficos, apesar disso não deixa de provocar fortes dores na cintura, na região lombar baixa, tanto mais que o peso do corpo, transmitido pela coluna vertebral. Esses exemplos permitem pressagiar a importância das manobras de redução desses deslocamentos, levando em conta o número de manifestações patológicas relacionados a esse tipo de lesões vertebrais.





HIPÓTESES DE AÇÃO DA VERTEBROTERAPIA
Como muitas terapêuticas que ainda não receberam a consagração oficial dos meios universitários – a Vertebroterapia- ainda continua contestada do ponto de vista de sua eficácia e de sua realidade clinica; e , no entanto, ela já conta com um número impressionante de curas. O osteopatapa, que para confirmar seu diagnóstico, serve-se das mãos e principalmente da extremidade digital, pode detectar a lesão vertebral, mesmo mínima, e, com certo treino e uma sensibilidade acrescida ainda pela experiência, é capaz de perceber e registrar as menores modificações surgidas no seio dos tecidos paravertebrias.
Além disso, a experiência provou que quando se examina dessa forma uma coluna vertebral, constata-se que a s lesões sempre se encontram na altura dos pontos de maior sensibilidade, os quais, aliás, coincidem com as zonas de contratura muscular. “A sutileza do diagnóstico” e a necesidade do “dedilhado” na execução das manipulações corretivas assim o exige. A utilidade dessas manobras ficará a cargo do osteopata que julgará se são oportunas; na realidade, a vertebroterapia, como todas as terapêuticas, só será aplicada se o estado do paciente o exigir. Ela não cura todas as lesões locais ou todos os distúrbios do organismo, porém, em grande número de casos, traz aos doentes não apenas a sedação das dores, mas também o restabelecimento do equilíbrio funcional.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

DEFINIÇÕES DOS TRATAMENTOS TERAPÊUTICOS

DEFINIÇÕES DOS TRATAMENTOS TERAPÊUTICOS


ACUNPUNTURA
Definições
Há uma definição antiga, válida ainda hoje, regida nos seguintes termos: “operação que consiste em introduzir nos tecidos uma ou varias agulhas muito finas, a fim de obter a cura de certas moléstias,” Essa definição, embora sendo exata quanto a explicação da operação Terapêutica, no entanto não é completa. Na verdade, é preciso procurar não esquecer que a Acupuntura baseia-se na concepção filosófica dos chineses sobre aas relações entre a doença e a saúde. Além do mais, após determinado o estado fisio-patológico dos órgãos e das funções através de exames, ela consiste em tratar certas afecções mórbidas a uma série de picadas superficiais feitas com agulhas de ouro ou de prata muito finas.
ALGOTERAPIA
Definições
Pelo termo deve-se compreender um tratamento externo suscetível de ser aconselhado quer a titulo preventivo, quer a titulo de medicação auxiliar, em certo número de problemas de saúde. A forma de aplicação Terapêutica mais cômoda para o doente, e de longe a mais eficaz, consistirá em banhos medicinais, vetores das algas e de seus componentes previamente reduzidas a matéria pulverulenta a fim de assegurar sua total dissolução em água quente.
BALNEOTERAPIA
Definição
Pode-se definir essa Terapia como sendo a imersão do corpo humano num meio de água doce, quente ou fria, ou ainda sua exposição aos raios solares, ao ar livre ou, finalmente, ao vapor; esse diferente aspecto da balneação liquida ou gasosa são considerados aqui sob o ângulo puramente Terapêutico. Tratamento complementar ou tratamento preventivo das doenças, sobretudo daquelas atribuídas aos erros da vida moderna, a Balneoterapia proporciona ao organismo certo grau de resistência e uma menor receptividade aos agentes patogênicos.
CLIMATOTERAPIA
Definição
Compreende-se a forma de tratamento que se serve da própria influência do clima selecionado para esse fim: sua aplicação ao organismo humano será aconselhada em todos os casos a titulo preventivo para a manutenção da boa saúde, mas será recomendada, sobretudo na eventualidade de certo número de fenômenos patológicos. O conhecimento da climatologia médica cresceu paralelamente aos progressos técnicos realizados em meteorologia; o valor e a função das estações climáticas foram, então, melhor conhecidos.
DIETÉTICA
Definição
Se existe uma Medicina Natural preventiva, curativa e quotidiana, ela é, sem dúvida, a Dietética. A qualidade dos alimentos, o equilíbrio alimentar, a perfeição do cozimento e a frugalidade bem dosada são, com toda certeza, os melhores passaportes para o bem-estar e a saúde. O principio é elementar: fornecer ao organismo, através da nutrição, aquilo que satisfaça suas necessidades, sem excessos e sem carência, para dele obter o máximo.
ERGOTERAPIA
Definição
Método empregado para cuidar tanto do psiquismo deficiente como do corpo. A Ergoterapia consiste em tratar e reeducar os doentes, fazendo-os executar um trabalho apropriado ás suas capacidades funcionais diminuídas. Uma vez mais, essa técnica natural prova a unidade e a importância do equilíbrio no corpo humano. É o músculo o seu motor, à vontade, que intervêm na Terapêutica. Um espírito são num corpo são – é o passaporte para a saúde e a longevidade –mas não é algo que se obtenha sem algum esforço e um pouco de suor. A atividade física tornou-se o apanágio dos profissionais ou dos grandes fanáticos pelo esporte, quando , na verdade, se trata de uma atividade natural e necessária, assim como respirar, comer ou beber.
FITOTERAPIA
Definição
É na verdade a forma de tratamento mais simples e mais natural conhecida. A idéia é ancestral: Tratar as doenças ou previní-las graças a certos preparos vegetais ou aos princípios que deles se pode extrair. Essa medicina verde, ecológica como se diz hoje, é tão velha quanto o gênero humano. Antigamente, os hospitais e os conventos não deixavam de reservar vastos canteiros para a cultura racional de plantas medicinais que, uma vez colhidas, eram estocadas nos locais onde se fazia a tisana e onde se preparavam as variadas formas de aplicação desses vegetais de virtudes curativas.
HIDROTERAPIA
Definição
É entre os tratamentos considerados Naturais, convém destacar que, entre seus componentes Terapêuticos, inclui as águas minerais tiradas diretamente do solo. Pela sua composição quimica e pelos seus efeitos biológicos e farmacodinâmicos, podem ser considerados como agentes medicamentosos. Para obter todos os efeitos curativos, o paciente deverá, pois, sujeitar-se a fazer no local aquilo que se convencionou chamar de uma “cura termal.”
HOMEOPATIA
Definição
È um método de tratamento das doenças que consiste em dar ao paciente, em doses diluídas e previamente dinamizadas, um produto natural-vegetal-animal-ou mineral- que, empregado em doses ponderáveis ou tóxicas, tenha provocado, experimentalmente o aparecimento de sintomas semelhantes aqueles que se pode constatar no decorrer da doença a ser tratada. Em outros termos, o método de aplicação medicamentosa repousa, pois, no principio da similitude.
MASSOTERAPIA
Definição
Na tradição da medicina ocidental, o ato de massagear não tem outro intuito que o de tratar ou aliviar. As massagens são indicadas antes de tudo para o tratamento das dores musculares, para todas as algias – quer de origem nervosa, quer circulatória – e, num estágio avançado, para o alivio dos sintomas cardiovasculares, gástricos, respiratórios.
OLIGOTERAPIA
Definição
Há alguns anos, as pesquisas cientificas haviam permitido constatar, no próprio seio dos tecidos dos organismos vivos, a presença, em doses muito fracas, de agentes físicos ou químicos de função catalítica. Essas substancias, são indispensáveis ao equilíbrio biológico do individuo, antes de um conhecimento mais amplo eram representadas apenas pelas vitaminas; encontram-se agora completas em seu número e em sua ação pela contribuição relativamente recente de metais e metalóide, entre os quais o ouro , a prata, o cobre, o magnésio, etc.. reduzindo ao estado ao estado coloidal, cuja ação sobre os processos biológicos do ser humano revelou-se de capital importância
PSICOTERAPIA
Definição
A saúde é uma questão de equilíbrio. Equilíbrio entre as funções orgânicas, mas também equilíbrio entre o psiquismo e o corpo. O papel do psicanalista, pelo recurso da palavra e do relacionamento com o paciente é de desfazer os conflitos. Essa Terapêutica, evidentemente, é função de um especialista. Ela pode exigir muito tempo e não é raro ver uma análise durar vários anos. O papel do analisado é também de capital importância, pois sem a sua Vontade e o seu Desejo de cooperar o analista nada pode fazer.
TALASSOTERAPIA
Definição
Compreende os benefícios que se pode esperar do hábito dos banhos de mar tomados na praia, estando à água em sua temperatura natural, pois três fatores encontram-se presentes quando o individuo se expõe á ação terapêutica natural do meio marinho: o ar, as radiações solares e a água salgada.
Mas também pode ser feita nos estabelecimentos especializados para a cura de certo número de afecções crônicas.
VERTEBROTERAPIA
Definições
É uma técnica aplicada por médicos especialistas que consiste em manipular, sob certas condições, os corpos ósseos que compõem o conjunto da coluna vertebral e a correção dos ligeiros deslocamentos que podem atingi-los. As manobras terapêuticas deverão ser confiadas exclusivamente a um médico especialista.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

É inegável o avanço da medicina nestes últimos séculos, não podemos ir contra este fato, e não seremos nós aqui a levantar uma bandeira contra a medicina tecnológica de hoje. Mas também é outro fator incontestável que o aumento do uso de produtos químicos tem nos deixado em alerta. Sem o respeito pelo corpo e a natureza, a medicina tecnológica nos causa temor. Conciliar a natureza e a ciência, o equilíbrio físico e o mental, são os pontos centrais das Terapias Alternativas. Pois a sua função consiste em preservar este equilíbrio, ou em caso de crise provocada pela doença, concorrer para o seu restabelecimento. Considerando o terreno sobre o qual a doença evolui, tem por objetivo, graças a uma higiene de vida física e mental e uma dieta apropriada, permitir que o individuo saudável se previna contra as agressões mórbidas, e proporcionar ao doente os meios que ajudarão a natureza no seu esforço para o restabelecimento da saúde. Prevenção e tratamento: duplo objetivo a ser atingido, habitualmente alcançado graças ao emprego de uma terapêutica baseada em métodos curativos, nos remédios (de origem natural, vegetal e animal – não químicos não sintéticos) e nos tratamentos com Terapias Alternativas.
As Terapias Alternativa usa os recursos destinados a reestruturar o equilíbrio biológico do individuo como por exemplo, as massagens, a correção vertebral, a colocação de agulhas de acupuntura, os exercícios físico; recorrer-se a agentes naturais tais como o ar, a água ou o sol, em curas prescritas pelo médico; e não podemos deixar de reforçar o uso da dietética. E finalmente serão representados por tratamentos de âmbito da própria esfera psíquica, sob forma de diferentes meios de relaxamento mental
De todos os tratamentos terapêuticos naturais que serão aqui exposto, será apresentado um histórico de sua origem, sua definição, as características, indicações para o seu uso,
as propriedades terapêuticas e suas funções, a conduta do tratamento, o modo de sua ação, a posologia adequada, e as contra-indicações.
Os tratamentos terapêuticos naturais aqui apresentados são os seguintes:
A Acupuntura- um tratamento chinês milenar através de colocação de agulhas em certos pontos cutâneos.
A Algoterapia- tratamentos com o uso de algas marinhas.
A Balneoterapia- o tratamento milenar com o uso de banhos quentes ou frios.
A Climatoterapia- o tratamento através das formas climáticas disponíveis na natureza.
A Dietética- o tratamento através do uso de alimentos, suas vitaminas, as variadas formas de digeri-lo.
A Ergoterapia- o tratamento através de exercícios físicos (ginásticas, ioga, caminhadas ).
A Fitoterapia- o tratamento através do uso de plantas, folhas, raízes, caules, folhas, flor...
A Hidroterapia- o tratamento através de uso das águas termais- minerais.
A Homeopatia- o tratamento através de produtos minerais, vegetais e animais.
A Massoterapia- o tratamento através da massagem.
A Oligoterapia – o tratamento através de substancias oligo-elementos encontradas em nosso organismo.
A Psicoterapia – o tratamento através da psicanálise.
A Talassoterapia- o tratamento através dos elementos marinhos disponíveis no banho de mar.
A Vertebroterapia- o tratamento através de massagens diretamente na coluna vertebral.